Orelhão acusado de participar do assassinato do Delegado da PF em São Luis é preso

A polícia prendeu nesta segunda-feira (7) Davi Costa Martins o Orelhão,segundo suspeito de envolvimento na morte do delegado Davi de Farias Aragão. Ele foi assassinado no último sábado (5), durante a festa de aniversário de 5 anos de sua filha, no município de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís. Policiais ainda procuram um terceiro envolvido, identificado apenas como Leandro.

O delegado foi morto aos 36 anos, dentro da sua casa de praia, no bairro Araçagy. Três suspeitos invadiram o imóvel para assaltá-lo, e Aragão tentou impedi-los. A polícia registrou o caso como latrocínio (roubo seguido morte).

Davi Costa Martins foi preso e encaminhado para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas em São Luís (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Disparos e facadas
De acordo a Polícia Civil, os três assaltantes invadiram a residência por volta das 23h, a partir de uma casa vizinha que estava desocupada. Os criminosos pularam o muro e entraram na casa do delegado, sendo dois pelo quintal e outro pela lateral. Os bandidos perceberam que havia uma movimentação na residência quando um entregador deixou uma pizza pedida pelas pessoas que comemoravam o aniversário da filha de Davi.

Segundo o delegado Jefrey Furtado, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), os bandidos anunciaram o assalto e começaram a retirar objetos pessoais dos convidados da festa. Eles tentaram entrar em uma parte onde algumas crianças estavam, mas o delegado quis impedi-los. Houve luta corporal entre os assaltantes e o delegado, que foi atingido por três disparos e algumas facadas.

Delegado da Polícia Federal, Davi Aragão, vítima de latrocínio no Maranhão (Foto: Divulgação)
Após o crime, os criminosos identificados como Davi Costa Martins e Wanderson de Morais Baldez, além de um terceiro com chamado apenas de Leandro, fugiram do local. A polícia conseguiu prender Wanderson de Morais depois que ele tentou atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Vila Luizão, em São Luís.

Ainda segundo a polícia, Wanderson de Morais deveria estar sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, já que responde por outro crime que não foi informado. Ao ser capturado pelos policiais, o assaltante não estava usando o equipamento.

Despedida e homenagens
Aragão foi sepultado na tarde desse domingo (6) no Cemitério Parque da Saudade no bairro Vinhais, em São Luís. Um helicóptero da Polícia Civil jogou pétalas de rosas durante o enterro, e amigos cantaram o hino da Polícia Federal.

“Eu espero que a gente tenha justiça, mesmo que não traga meu irmão de volta. Mesmo que eu não consiga devolver o pai da minha sobrinha”, diz Fábio Farias de Aragão, irmão do delegado.

Davi de Farias Aragão era chefe da Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários do Maranhão e há mais de 12 anos trabalhava na PF.

Por meio de carta, a Superintendência da Polícia Federal no Maranhão lamentou a morte, afirmou que continuará acompanhando o caso e decretou luto de três dias.

Em nota, a Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) afirmou que Aragão é mais uma vítima da violência que aflige a sociedade brasileira e que os profissionais de segurança vem se tornando alvos preferenciais.

Fonte: G1 MA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *