Em mensagem, motorista de aplicativo pede sexo oral a cliente na BA

Uma mulher, que prefere não se identificar, relatou nesta quinta-feira (17) que foi vítima de assédio sexual por parte de um motorista do aplicativo 99 Táxi, em Salvador. Ela estava em um shopping da capital baiana e acionou o aplicativo para deixar o local, mas recebeu uma mensagem do motorista, antes de entrar no carro, que a assustou.

Enquanto ela conversava com o homem para descrever o ponto exato onde ela aguardava o transporte, o motorista enviou a seguinte mensagem: “Estou chegando. Deixa eu te perguntar uma coisa. A senhora tá afim de fazer um oral em mim durante o percurso?”.

A cliente desistiu da corrida e denunciou o caso ao aplicativo. Conforme a assessoria da plataforma, motorista foi expulso da plataforma. A passageira relatou que ao ler a mensagem do motorista ficou extremamente nervosa e não sabia o que fazer.

Motorista de aplicativo assediou cliente ao pedir sexo oral para ela  (Crédito: Arquivo Pessoal)
Motorista de aplicativo assediou cliente ao pedir sexo oral para ela (Crédito: Arquivo Pessoal)

“Sempre utilizo aplicativo [de transporte] e nunca passei por isso. Eu estava conversando com ele para saber onde ele estava porque achei que estava demorando. Do nada, ele me mandou a mensagem. Eu fiquei paralisada. Li e não sabia o que fazer, lia novamente para ter certeza que não estava me enganando. Ele [o motorista] chegou a me ligar, disse que estava chegando e eu não conseguia nem responder, nem cancelar a chamada”, detalhou.

A cliente detalhou ainda que após não conseguir responder ao motorista, ele a direcionou para outro veículo. Em seguida, ela conseguiu cancelar o chamado, pegou um táxi e deixou o shopping. Ao chegar em casa ela enviou um e-mail para o aplicativo relatando a situação.

“Meu intuito não é manchar o aplicativo, é evitar que aconteça com outras pessoas. Ele me mandou a mensagem antes de entar no carro, mas eu poderia ter entrado [no veículo] e ele ter feito algo mais grave”, relatou.

A assessoria do aplicativo informou que, ao saber da denúncia, baniu o motorista da plataforma. Antes mesmo de responder à imprensa, a plataforma respondeu ao e-mail da cliente lamentando o ocorrido e dizendo que não compactua com ação do motorista.

Os responsáveis pelo aplicativo ainda pediram a vítima enviasse o print com a mensagem do motorista e o boletim de ocorrência do registro da denúncia na Polícia Civil. A cliente disse que já está em busca de registrar o caso na delegacia para enviar o boletim para os responsáveis pela plataforma.

Por meio de nota, o 99 Táxi informou que a empresa repudia qualquer tipo de violência contra as mulheres e que está em contato com a cliente para prestar todo o apoio possível. Além disso, o aplicativo disse que está aberto para colaborar com as autoridades e reiterou que trabalha para evitar situações como essa.

Após a situação, a mulher disse que ainda está abalada, mas que não vai se sentir intimidada com o ocorrido. “Estou com dor de cabeça até agora. Sou corajosa, Mas estou receosa. Por enquanto vou contar com apoio de caronas da família”, concluiu.

Jovem é atropelada na Tabuleta em Teresina. Pericia descobriu perfurações de arma branca no corpo da vitima

Por Lucas Marreiros, G1 PI

Morte de Aretha Dantas Claro, 32 anos, é investigada por Núcleo de Feminicídio em Teresina (Foto: Arquivo Pessoal)

Morte de Aretha Dantas Claro, 32 anos, é investigada por Núcleo de Feminicídio em Teresina (Foto: Arquivo Pessoal)

O caso da mulher morta após ser esfaqueada e atropelada nesta terça-feira (15) na Avenida Maranhão, bairro Tabuleta, Zona Sul de Teresina, será investigado pelo Núcleo de Feminicídio do Piauí. A vítima foi identificada como Aretha Dantas Claro, de 32 anos. De acordo com Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) algumas pessoas já foram ouvidas.

Segundo o DHPP, o crime será investigado pelo Núcleo de Feminicídio por orientação relacionada à apuração de crimes relacionados ao sexo feminino. O DHPP enfatiza ainda que apenas a apuração vai definir tratar-se ou não de feminicídio. O feminicídio é uma qualificadora do homicídio, incluída no código penal em 2015, que leva em conta as condições em que a morte aconteceu. O crime é classificado como feminicídio quando ocorre pela condição do sexo feminino, havendo violência doméstica ou familiar ou ainda menosprezo ou discriminação à condição da mulher.

“Não podemos adiantar nada para não atrapalhar a investigação, apenas que já está bem avançada. A delegada Luana, do Núcleo de Feminicídio, já ouviu algumas pessoas e acredito que em breve o caso será elucidado”, informou o delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do DHPP.

Delegado Francisco Costa, o Barêtta, da Delegacia de Homicídios (Foto: Catarina Costa / G1 PI)Delegado Francisco Costa, o Barêtta, da Delegacia de Homicídios (Foto: Catarina Costa / G1 PI)

Delegado Francisco Costa, o Barêtta, da Delegacia de Homicídios (Foto: Catarina Costa / G1 PI)

Segundo a Polícia Militar, a vítima foi morta durante a madrugada desta terça-feira (15), por volta das 4h30. Foram encontradas várias perfurações no corpo de Aretha Claro e a polícia suspeita que ela tenha sido arrastada pelo veículo.

O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde é periciado para determinar a causa da morte. A polícia não informou a prisão ou identificação de nenhum suspeito até o momento.

Confira os jogos do Vasco antes da Copa do Mundo

zé Ricardo

Vitória (c) – 13/05 – 16h – São Januário
Flamengo (f) – 19/05 – 19h – Luso-Brasileiro
Bahia (f) – 27/05 – 16h – Arena Fonte Nova
Paraná (c) – 30/05 – 19h30 – São Januário
Botafogo (c) – 02/06 – 19h – São Januário
Cruzeiro (f) – 06/06 – 21h45 – Mineirão
Sport (c) – 09/06 – 19h – São Januário
Internacional (f)  – 13/06 – 21h45 – Beira-Rio

 

AÇÃO POLICIAL Polícia apreende uma tonelada e meia de maconha em Santa Inês

SANTA INÊS – A Polícia Civil apreendeu nesta quarta-feira (9), no Povoado Faísca, zona rural do Município de Santa Inês, aproximadamente uma tonelada e meia de maconha. A operação foi realizada em conjunto com a Polícia Militar (7º BPM), por intermédio das Delegacias de Santa Inês e Santa Luzia.

Segundo informações do delegado Armando Pacheco, Superintendente de Polícia Civil do Interior, a investigação foi iniciada há alguns meses. Após um período de coleta de informações, a polícia identificou plantações de maconha no povoado Faísca. “De lá vem grande parte da maconha comercializada nas cidades circunvizinhas”, disse.

Na oportunidade, foram encontrados 82 sacos de 15 kg contendo a substância entorpecente, sendo que 52 foram apreendidos e 30 foram incinerados no local, haja vista a impossibilidade de transportá-los.

No momento, os supostos proprietários da droga apreendida não foram presos em flagrante por não se encontrarem no local. “Informo que foi apreendida grande quantidade de droga já devidamente prensada, bem como várias sacas de semente. Por fim, consigna-se que as investigações ainda estão em andamento”, finalizou.

Bandidos tentam assaltar delegado Uchôa, que reage e atira nos meliantes

No início da manhã de hoje ( 09), próximo das 6h, dois elementos armados em uma moto tentaram assaltar o delegado de polícia Sebastião Uchôa no Turu, que caminhava tranquilamente com seu cachorro de estimação. Eles passaram do delegado e retornaram para praticar o assalto. Uchôa, que estava armado, sacou da pistola e atirou contra os bandidos. Um deles saiu baleado e eles fugiram na moto.

 

 

 

Mulher vai ao Fórum obter informações sobre processo que responde por tráfico e descobre que foi condenada a 8 anos de cadeia

IMPERATRIZ – Joyce Milena dos Santos, 23 anos, foi presa na tarde desta segunda feira (7), no Fórum de Imperatriz. Ela tinha ido deixar sua assinatura em relação ao processo que responde pelo crime de tráfico de droga, mas ao chegar ao Fórum, acabou presa.

É que ela pediu para que verificasse como andava seu processo, e então o Fórum informou que tinha saído sua condenação de oito anos de prisão. Diante disso, a mulher foi conduzida para a delegacia.

Joyce Milena tinha sido presa em julho de 2016 na rodoviária de Imperatriz. Na época ela estava embarcando com uma grande quantidade de maconha prensada para Belém. No total foram apreendidos 107 kg da droga, embaladas em 72 barras.

Joyce ficou presa mais de um ano e estava respondendo o processo em liberdade, até sair sua condenação. Ela foi conduzida para o Plantão Central da Polícia Civil, e hoje deve ser levada para o
Presídio Feminino de Davinópolis, onde irá cumprir o restante da pena.

Mulher casada é morta pelo amante que encomendou o assassinato por R$ 4.000,00

A Polícia Militar do município de Joaquim Pires realizou a apreensão de um adolescente identificado pelas iniciais M.H.M, acusado ter assassinado a jovem Roseli Alves de Sousa, de 23 anos, morta a tiros na noite do dia 28 de abril na localidade Placa, zona rural do município. Uma segunda pessoa também teria participado do crime.

De acordo com informações da Polícia Militar, a vítima era casada e mantinha envolvimento amoroso com um homem que, segundo apurado durante os primeiros levantamentos, teria contratado o menor pelo valor de R$ 4 mil para praticar o homicídio contra a jovem.

Roseli Alves de Sousa, assassinada a tiros em Joaquim Pires (Crédito: Facebook/Reprodução )
Roseli Alves de Sousa, assassinada a tiros em Joaquim Pires (Crédito: Facebook/Reprodução )

Ainda segundo a polícia, suposto amante estaria inconformado pela possibilidade de a vítima ir para o estado de São Paulo, onde o marido residia,  e por isso “encomendou” a sua morte.

O homem com quem Roseli mantinha envolvimento, que não teve a identidade revelada, já foi intimado para depor. O feminicídio é investigado pela Polícia Civil de Matias Olímpio, responsável pela região.

Entenda o crime 

Roseli Alves de Sousa foi morta a tiros na noite do dia (28/04) na localidade Placa, zona rural do município de Joaquim Pires. A vítima estava na porta de sua residência, quando foi surpreendida por dois criminosos que atiraram várias vezes contra ela. Por conta da gravidade dos ferimentos, ela morreu no local.

Segundo a Polícia Militar, a jovem teve o aparelho celular levado pelos suspeitos.

MN

Na FCFM Zito Rolim fala de ataques de adversários e enumera obras de seu governo

Do blog do Acélio

O ex-prefeito Zito Rolim esteve na manhã desta terça-feira, 8, concedendo entrevista ao jornalista Alberto Barros. Falou de diversos assuntos entre os quais os ataques que vem sofrendo de sua mídia opositora. Ao estilo Zito disse apenas que ‘não perderá tempo com isso” e que espera que a Justiça tome providências pois na sua opinião a campanha política, pra seus adversários já começou a bastante tempo.

Zito e Iltamar com Alberto na FCFM

“Não vou perder tempo com isso, não vou dá ouvidos, mas eu vejo aqui uma campanha bastante tempo sendo iniciada, é preciso que a Justiça tome providências com isso porque a campanha já está existindo”, disse

Na parte final da entrevista passou a enumerar obras dos seus 8 anos a frente da PREFEITURA DE Codó frisando áreas como a Saúde e a Educação, além de infraestrutura na cidade e na zona rural.

 Post to Twitter

Projeto de carcinicultura em Santa Rita é reprovado em audiência realizada por César Pires

Em audiência pública proposta pelo deputado César Pires (PV), por meio da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa, a maioria dos participantes manifestou ser contra a implantação de um projeto de carcinicultura nos campos alagados do município de Santa Rita.

Do debate participaram vereadores, secretários municipais e estaduais, representantes do Ministério Público Estadual e da sociedade civil.

“Foi a audiência pública mais positiva de que eu já participei, ao longo de meu trabalho no parlamento. Dez dos 13 vereadores e todos os secretários estiveram presentes, assim como a promotora Karine Guará. As manifestações da população contra a venda dos nossos campos de Santa Rita também foram muito importantes”, avaliou César Pires.

Na opinião do deputado, os representantes da empresa Bomar fizeram explanações técnicas do projeto de carcinicultura, mas esqueceram de falar dos impactos ambientais e sociais do empreendimento, que atingirá as famílias que vivem da pesca e da criação de animais nos campos alagados.

“Todas as consequências negativas de um projeto como esse passariam despercebidas se não houvesse essa audiência pública. É preciso preservar o nosso ecossistema e, também, cumprir o que diz a Constituição Federal. Vamos travar uma luta sem tréguas em defesa do campo e da população”, frisou César Pires.

Os representantes da Bomar relataram que pretendem implantar o projeto de carcinicultura em uma área de 4.100 hectares, com a instalação de 63 tanques de criação de camarão em 1.800 hectares, alcançando a construção de 1.680 viveiros de camarão e gerando de 300 a 600 vagas de emprego.

“Até agora, não foi emitida nenhuma licença. Estamos aguardando os estudos de impacto ambiental, de uso e ocupação de solo, além de outros documentos, para saber se o pedido será deferido ou não”, disse Diego Matos, secretário adjunto de Licenciamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

A promotora de Justiça Karine Guará Bruzaca destacou a importância do Ministério Público na audiência. “Essa é uma questão que está nos preocupando muito. O que depender do Ministério Público será feito. Já oficiamos diversos órgãos e estamos nos cercando de toda legalidade para garantir que tudo seja feito de forma adequada”, afirmou ela.

Preocupação

“Eu não poderia deixar de expressar minha preocupação, pois as pessoas serão prejudicadas com a implantação dessa empresa. Sei das consequências que isto trará para o povo de Santa Rita e região, pois os campos naturais são de suma importância para as famílias, que dependem deles para retirar seu sustento. Como filho de Santa Rita, eu e os vereadores não podemos permitir que a empresa se instale aqui, sem um estudo de impacto ambiental, sem prejuízos para as famílias”, acentuou o presidente da Câmara,  Fredilson Carvalho.

Os vereadores André, Jackson Fogoso, Reginaldo, Antônio Felipe, Evandro, Patrício, Jansen Mauro, Derreth, de Santa Rita, e o vereador Dair, de Anajatuba, também afirmaram que são contra a implantação do projeto.

Os diretores da Bomar garantiram ainda que a empresa vai qualificar os moradores da cidade para trabalhar no projeto. “A nossa intensão é ter uma relação harmoniosa com toda a comunidade de Santa Rita. Nossa empresa é idônea e cumprirá todas as normas ambientais, pois isso aqui é o futuro do Maranhão na aquicultura. A Bomar vai trazer futuro para o Maranhão, pois 98% da mão-de-obra será daqui. Vamos qualifica-los para trabalhar na nossa empresa. As portas estão abertas para esclarecer todas as dúvidas. Não temos nada para esconder. Os documentos são claros”, acentuou Gentil Linhares, diretor-presidente da empresa.

Posição contrária

A maioria dos participantes afirmou ser contrária à implantação do camaroeiro na região, porque desempregará famílias de mais de 40 povoados que dependem da pesca e da criação de animais para suas sobrevivências. Também afirmaram que, além de não terem sido comunicados previamente sobre o projeto, se a Bomar for instalada nos campos naturais, isto prejudicará, além de Santa Rita, as cidades de Bacabeira, Itapecuru-Mirim e Anajatuba, que também tiram do campo o alimento e fonte de renda para o sustento de suas famílias.

“A gente vive bem, pois moramos e nascemos aqui, criando os nossos animais para sobreviver. Até hoje, ninguém da empresa nos procurou para conversar.  Por isso, tememos com a chegada dessa empresa. Se tapar os igarapés, é o mesmo que nos colocar na rua, porque não temos do que sobreviver. A água represada vai tomar conta de tudo. Essa reunião é importante porque queremos que as autoridades tomem providências, pois não podemos ficar sem os nossos animais. Essa é nossa fonte de renda”,  afirmou o criador de peixe José de Ribamar Tores, que mora no povoado Mata dos Pires há mais de 60 anos.

O agente comunitário de Saúde, Carlos Alberto de Souza, morador do povoado Infesado, também disse que a população será prejudicada. “Todo mundo será prejudicado. Além disso, o camarão será vendido para outros países. A empresa não dará emprego e nem renda para os pais de família que dependem da pesca e da criação de animais para sobreviver. Então, se é uma empresa que não vai trazer benefícios para o nosso povo, não pode ser instalada aqui”

Policial reage a assalto e mata bandido.

Um policial civil estava pilotando sua moto no domingo à noite  quando dois bandidos armados tentaram cercá-lo em outra moto, mas ele foi ligeiro, se jogou do veículo e se protegeu por detrás de um carro. e seguida sacou a arma  e acertando um dos assaltantes. O fato, segundo informações de policiais ao blog do Luis Cardoso teria acontecido na Ponta do Farol; confira:

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso também pelo Twitter™ e pel